A Resistível Ascensão de Arturo Ui

A Resistível Ascenção de Arturo Ui é uma reescritura cênica do texto de Bertolt Brecht, uma parábola teatral de 1941 que transporta a história de Hitler – desde a ascensão até a ocupação da Áustria – para o mundo dos gangsters de Chicago, nos Estados Unidos. Durante uma crise no mercado de verduras de Chicago, o cartel da couve-flor se envolve com o gângster Arturo Ui e sua gangue, que aproveitam a situação para tomar o poder da cidade e das redondezas.
Para o Grupo Liquidificador, a obra traça um paralelo preciso que se relaciona com o cenário político mundial dos dias atuais e as constantes ondas de violência que tomam conta do Brasil e de diversos outros países. Com o intuito de repensar e transgredir lugares de poder, o coletivo se debruça sobre a performatividade dos drag kings a partir de quatro atrizes revezando os 27 personagens masculinos do texto. Os drags pirateiam o gênero masculino e pirateiam o distanciamento brechtiano com o deboche de brasilienses que respiram o mesmo ar dos imundos poderosos. A ácida e divertida trama convida o
público a um jogo cênico que envolve o revezamento entre as personagens do texto, performances drags e as atrizes.

Ao utilizar como plano de fundo as guerras entre os gângsters de Chicago, Brecht criou uma parábola política para tempos distópicos que parecem cíclicos. Quem imaginaria que estes gângsters (ou Chicago Boys) teriam ainda tanto poder e influência em pleno século XXI ? 

“Um jardim faz-se de luz e sons. As plantas são coadjuvantes.” 
 Burle Marx 


Um quadro dantesco de 1500. 
Mesma data da Criação da nação Brasil pós invasão destas terras, com as graças de Padre Anchieta e seu teatro que não cansou de catequizar. 
2000 anos após a criação do mundo cristão e suas mitologias. 
60 anos após a Criação e denominação do espaço paradisíaco que se chamaria Brasília, com as graças de religiosos e políticos “profetas”. 
Jardim das Delícias surge neste contexto. Sétima peça do Grupo Liquidificador, que tem a convivência em grupo como projeto de pesquisa aliado à ética dos criadores de cada um dos espetáculos. A mistura de linguagens e a pesquisa de fronteiras entre as artes é motor primordial para esta criação. Sete anos é o tempo total necessário para trocar completamente a pele do corpo. Sete é o portal simbólico que se abre neste novo trabalho. 
Pegamos emprestadas (ou pirateadas) as cenas do quadro De Bosch com o desejo de por no palco os conflitos das imagens nos corpos, os ambientes sonoros e as paisagens apresentadas. No decorrer do processo surgiram inspirações dramatúrgicas que partem das peças paisagens de Gertrudes Stein, além de trechos textuais de autoria dos atuadores, de Clarice Lispector, Antonin Artaud, Shakespeare entre outros. Além desses textos, o que é soberano no espetáculo são cenas líricas e imagens de CorposDiscursos para um tempo em que a linguagem se modifica à passos largos. Convidamos a um passeio lúdico com vontade de transformação de horizontes éticos e estéticos numa espiral de vertigens, imagens e corpos políticos. A pólis num liquidificador, um organismo anti apaziguador.

Em tempos de disputa pelas imagens midiáticas, fake news, pós verdades e desespero moral para definir o que é bom, belo e verdadeiro, o Jardim das Delícias surge de uma necessidade da indefinição e (re)construção de horizontes. Uma vontade de buscar (e borrar?) fronteiras linguísticas tentando outras comunicações expressivas. 

 

 



 

FICHA TÉCNICA 

Elenco: Ana Quintas (Enzo DMX), Fernanda Alpino (Clint Esparradão), Larissa Souza (Walter Waleiro) e Nininha Albuquerque (Little Big).

Participação especial: Adriana Lodi


Direção: Fernando de Carvalho


Texto: Bertolt Brecht


Trilha Sonora Pesquisada: Kino Lopes


Figurinos: Yasmin Daltrozo


Concepção de Cenário: Grupo Liquidificador


Colaboração de Maquiagem: Julia Gunesch


Canção Original “Encruza”: Fernando de Carvalho e Ricardo Alcântara
 

Iluminação: Ana Quintas


Assistência de Iluminação: Larissa Souza


Preparação Corporal: Nininha Albuquerque


Preparação Vocal: Marcia Degani


Fotos: Nina Quintana


Projeto Gráfico: Gabriel Guirá

 

Produção e Realização: Grupo Liquidificador
 

Temporada:

  • 2019, Setembro, Teatro Galpão - Espaço Cultural Renato Russo - DF 

  • facebook-square
  • Twitter Square
  • Blogger Black Square
  • Instagram Black Square